O que dizem

…Sobre o projeto

A globalização desencadeou novos desafios em termos profissionais.
Aos nossos jovens são solicitadas para além de competências técnicas e científicas, competências como adaptabilidade, resiliência e otimismo: o VOGUI surge então como uma resposta para estes novos desafios.
O VOGUI parte do desenvolvimento da consciência de si, na promoção das competências pessoais e sociais e orientação vocacional. Ao conhecer o seu mundo interno, o jovem será capaz de analisar de forma crítica o mundo externo e tomar decisões.
Para além de melhorar os processos de tomada de decisão, o VOGUI é, sem dúvida, uma oportunidade para os jovens desenvolverem competências pessoais e sociais, fundamentais para a sociedade atual e promotoras de saúde mental

Rosália Coelho – Elemento da direção da Psientífica

Dúvida Minha, Dúvida Minha, Haverá Alguém com Mais Dúvidas do que Eu? Penso que esta é a questão central do VOGUI.

Quantos jovens têm acesso a ferramentas que lhes permitem ter uma postura mais consciente e assertiva das suas capacidades? Quantos jovens estão a par do conjunto de oportunidades que podem abraçar com o potencial que têm?

Numa altura em que o cérebro ainda é, de certa forma, maleável, uma vez que ainda está em fase de plena absorção, o VOGUI pretende intervir junto dos jovens para que estes consigam expandir as suas competências, apresentando-lhes uma amplitude de aprendizagens a partir das quais terão acesso a novas oportunidades com vista à melhor integração na sociedade enquanto pessoas e profissionais do futuro.

Joana Namorado – técnica do projeto VOGUI

O VOGUI destaca-se pela inovação na área da psicologia e orientação vocacional, promove o desenvolvimento holístico e é uma oportunidade e crescimento pessoal e profissional para todas as partes envolvidas. Acredito que este projeto efetivamente capacita os jovens a estruturarem e implementarem o seu projeto de vida, a tomarem decisões refletidas e sustentadas, e a aumentarem o seu auto-conhecimento. O VOGUI promove relações interpessoais positivas, autonomia e o desenvolvimento de competências transversais que certamente têm efeitos positivos na participação cívica da Juventude que é o nosso futuro.

Catarina Queirós - técnica de Juventude

A integração no projeto VOGUI permitiu-me não só trabalhar com e para os jovens, mas também fazer parte de uma equipa dinâmica e empreendedora que partilha dos mesmos interesses e ideais que eu. O VOGUI traduz uma oportunidade única para os jovens, uma vez que estes terão acesso a ferramentas que lhes permitirão o desenvolvimento de uma postura mais consciente, assertiva e reconhecedora das suas capacidades, promovendo assim uma maior clareza na definição de objetivos pessoais e planos de ação futuros.

Carolina Vale – técnica do projeto VOGUI

Há projetos marcantes e o VOGUI é um deles. Estamos perante um projeto que tem a capacidade de desenvolver nos jovens todas as suas capacidades de forma interativa e que lhes possibilita estar conscientes das suas competências pessoais e sociais. O VOGUI permite ainda que os jovens tenham o maior conhecimento possível das ofertas formativas e percursos profissionais pelos quais podem optar e, deste modo, a escolha que o jovem faz para o futuro é uma escolha consciente e informada. O VOGUI é de facto um programa transformador em que o jovem toma conta do leme e define o seu próprio percurso

Ana Moutas, Diretora Técnica da Psientífica e Coordenadora do Centro de Juventude de Águeda

O projeto Vogui, que envolveu cerca de 40 alunos do 12 ano da ESMC, voluntários, assentou numa estratégica que aliou a orientação vocacional à educação não formal, numa dinâmica de intervenção que se revelou de enorme sucesso. O feedback que foi possível ir obtendo da parte dos alunos ao longo das sessões, permitiu perceber a enorme dificuldade que têm em decidir sobre qual o percurso académico e profissional a seguir. A estratégica de educação não formal, utilizada, bem como as sessões de jobshadowing em que tiveram oportunidade de participar, permitiu-lhes desolcultar um conjunto pré-conceitos e de crenças que muito contribuíram para a realização de escolhas informadas e bastante mais conscientes.”

Francisco Vitorino, Diretor Agrupamento de Escolas Águeda Sul

Ao longo do percurso educativo e formativo são vários os momentos em que os jovens são chamados a fazer escolhas. Por norma, estas decisões não são fáceis e, muitas vezes, a opção escolhida não resulta da ponderação dos fatores que seriam mais adequados. Assim, o VOGUI, como Programa de Orientação Vocacional baseado em Educação Não-Formal, tem um papel relevante, na medida em que através de novas abordagens e metodologias inovadoras, de conciliação da educação formal e não formal, dá aos jovens ferramentas que melhor suportam as suas decisões.

Elsa Corga. Vereadora da Educação CMA

… Sobre as Sessões de Desenvolvimento de Competências

“De uma forma simples e engraçada conseguem fazer com que nos conheçamos melhor e possamos refletir sobre vários assuntos / temas da nossa vida” Estudante 12º ano, ESAP

“Gostei do facto de termos tempo definido para realizar as tarefas em algumas sessões, pois torna-as empolgantes” Estudante 9º ano, ESMC

“Gostei do dinamismo das atividades e de serem em grupo” Estudante 9º ano, ESAP

“Pensar e raciocinar. As sessões são muito divertidas, é incrível” Estudante 9º ano, ESAP

“Gostei de trabalhar a concentração” Estudante 9º ano, ANV

“Aprendi a pensar melhor nas minhas decisões” Estudante 9º ano, AG. CIMA

“O que mais gostei foi da dinâmica, foi uma sessão com muito movimento” Estudante 9º ano, AG CIMA

“Acho que o que aprendemos serve para toda a vida” Estudante 9º ano, ANV

“Gostei da atividade que fizemos, pois, além de ter sido muito divertida, é importante saber identificar as nossas características psicológicas e as coisas que gostamos” Estudante 9º ano, ANV

“A diversidade de opiniões que mostram que sermos diferentes é bom também para ajudarmos os outros” Estudante 12º ano, ESMC

“O melhor das sessões foi o convívio os debates e discussões sobre os cursos que queremos seguir”

“Gostei de participar no VOGUI, pelo dinamismo das sessões e pela oportunidade que tive de me conhecer melhor.”

“Gostei, do facto de ter clarificado algumas ideias e alargado o meu horizonte para novas profissões que não conhecia”

“O que mais gostei na sessão foi do facto de nos fazer pensar sobre nós próprios e de nos fazer ver que nós somos importantes” Estudante 12º ano, ESAP

“Gostei do facto de fazerem atividades para trabalhar a nossa memória e atividades que são muito importantes para o nosso futuro emprego” Estudante 9º ano, ANV

“Foi engraçado, divertido e diferente” Estudante 9º ano, ESAP

… Sobre as restantes atividades

“Na apresentação encontrei alunos entusiastas, interessados no seu futuro profissional, que depois de eu apresentar a Contabilidade como uma profissão que deveriam escolher. Os alunos faziam várias perguntas, no mais diverso sentido, mas sempre com o objetivo de ser uma carreira estável e com garantia profissional, no mercado nacional. Verifiquei que estavam preocupados com o futuro, e questionavam vários assuntos, para saberem se se enquadravam nas suas escolhas e tendências de futuro.”Carlos Almeida, TOC – Sessão de testemunhos

“O projeto VOGUI permitiu tanto aos jovens participantes como aos técnicos da juventude envolvidos aprender uma forma diferente de desenvolver a orientação vocacional, através dos preceitos da educação não formal, aliados a competências concretas e ao contexto concreto da nossa sociedade europeia” Sílvia Dutra – técnica de juventude

“Gostei da atividade dos testemunhos, porque pude contactar com um profissional da área para a qual eu queria ir e conhecer o que realmente faz”

“O melhor foi ter falado com profissionais de áreas bastante diferentes, até mesmo aquelas que anteriormente não me interessavam e conhecer personalidades com percursos profissionais diversificados”

“Participar no Jobshadowing é importante para nos ajudar a perceber se conseguimos realizar tarefas que façam parte de uma determinada profissão que gostamos”

“O Jobshadowing foi das atividades mais pertinentes, pois permitiu-nos conhecer melhor determinada profissão e perceber se é realmente aquilo que queremos seguir”

“Desenvolver a criatividade na criação de uma empresa” ESTUDANTE 12º ANO, ESAP

“Eu gostei da parte do trabalho em equipa” ESTUDANTE 12º ANO, ESAP

“Cooperação” ESTUDANTE 9º ANO, ESAP

“O que gostei mais foi quando tivemos que fazer a empresa e dizer o que mais gostávamos porque ao mesmo tempo estamos a pensar na nossa futura profissão pensando ou incluindo o que mais gostamos e aprendemos a comunicar à distância e voltar a relembrar como era fazer trabalhos de grupo” ESTUDANTE 9º ANO, AGUADA DE CIMA

“Envolvia a área que pretendo estudar” ESTUDANTE 9º ANO, ESAP

“A capacidade de nos entendermos em grupo” ESTUDANTE 9º ANO, ESAP

“Podermos ter a nossa perspetiva de trabalho” ESTUDANTE 9º ANO, ESAP

“Treinarmos o nosso trabalho em equipa, a partilha de ideias diferentes, mas termos conseguido chegar a uma conclusão” ESTUDANTE 9º ANO, ESMC

Podemos criar uma empresa da maneira que quiséssemos e foi fixe pensar com o nosso grupo: se pudéssemos criar uma empresa como se chamaria? Que produtos produziria? Que departamento eu queria participar? Etc… ESTUDANTE 9º ANO, ESAP

Atividades Inicio